Bem-vindo à página oficial do IICT

Nota à navegação com tecnologias de apoio

Nesta página encontra 2 elementos auxiliares de navegação: motor de busca (tecla de atalho 1) | Saltar para o conteúdo (tecla de atalho 2)
16 de Novembro de 2018
Pesquisa Search
Workshops - Conferências
Conferência dia 16 de Setembro - Ciência nos Trópicos - V Ciclo de Conferências

Logo do V Ciclo de Conferências Ciência nos Trópicos

 

 

Conferência: Formas de Participação no comércio de escravos na Sevilha quinhentista 

 

16 de Setembro: 17h30

 

Conferencista: Manuel Fernández Chaves (Universidade de Sevilha)

 

Comentadora: Maria Manuel Ferraz Torrão (IICT)

 

Conf 16 set

Resumo: Como é já conhecido, a cidade de Sevilha experimentou uma grande expansão económica e demográfica devido ao monopólio comercial americano ocorrido durante uma parte importante da Idade Moderna. Também é sabido que Sevilha contou com uma grande povoação escrava, só inferior à de Lisboa e à de Nápoles, e cuja vida e demografia têm sido objecto de alguns estudos de excelente qualidade. No entanto, para a cidade de Sevilha, ainda não se estudou com a profundidade suficiente o mundo dos agentes do trato negreiro, desde os grandes magnatas que dirigiam o tráfico ultramarino até aos vendedores e compradores “casuais”, passando pelos pequenos traficantes. Entre os principais mercadores pode-se contar com um número importante de portugueses que tiveram, em muitos casos, uma função de representantes dos grandes capitalistas assentes em Lisboa, o centro director do negócio triangular construído entre a Península, África e América.
Enquanto, em Portugal e no Brasil, os estudos sobre o tráfico de escravos têm atingido já um patamar firme, tanto relativamente à sua organização institucional como para o estudos dos protagonistas do mesmo (Ferraz Torrão, Ventura, Fonseca e Sampaio, Salvador, entre outros), em Espanha tem sido a quantificação macroeconómica do fenómeno ou a sorte e a vida do escravo os aspectos que mais têm atraído a atenção da historiografia. Nesta conferência tenta-se seguir o modelo de análise ensaiado em Portugal, procurando estudar-se também os protagonistas do trato e suas redes sociais e comerciais criadas no século XVI.

“Planta da Fortaleza q fes o cap.tam de mar, e guerra Joseph de Torres por hordem do Exmº Sor. Vasco Frz Cezar de Menezes, na Costa da Mina, no porto de Judá” [ca. 1722]
AHU, Cartografia Manuscrita

 

 

Manuel Fernandez Chaves é Doutor em História pela Universidade de Sevilha (2009) e, actualmente, Professor Ayudante Doctor no Departamento de História Moderna na dita Universidade. Nos últimos anos, tem realizado vários estudos de História Social, em colaboração com o doutor Rafael M. Pérez García, em especial sobre as minorias em Espanha do século XVI, nomeadamente os mouriscos e escravos norte-africanos. Fruto deste trabalho, publicou o livro En los márgenes de la Ciudad de Dios, moriscos en Sevilla (2009). Actualmente, está a realizar uma pesquisa sob a população escrava de Sevilha e os traficantes de escravos residentes na cidade, cujo perfil sociológico carece de uma investigação mais detalhada.

 


Sala do Brasil (AHU), Calçada da Boa-Hora, nº 30, Lisboa
Informações: ahu@iict.pt tel: 213616330
 

2010-09-09
© 2007 IICT - Instituto de Investigação Científica Tropical
Rua da Junqueira, n.º 86 - 1º, 1300-344 Lisboa | Tel: 21 361 63 40 | Fax: 21 363 14 60 | email: iict@iict.pt