Bem-vindo à página oficial do IICT

Nota à navegação com tecnologias de apoio

Nesta página encontra 2 elementos auxiliares de navegação: motor de busca (tecla de atalho 1) | Saltar para o conteúdo (tecla de atalho 2)
27 de Março de 2017
Pesquisa Search
Workshops - Conferências
Conferência: Região e Fronteira na América Meridional: a construção do sertão de Guarapuava, século XVIII

 banner ciencia tropicos

 

Conferência: Região e Fronteira na América Meridional: a construção do sertão de Guarapuava, século XVIII 
 
4 de Dezembro: pelas 17.30 horas
 
Conferencista: Oséias de Oliveira, Universidade Estadual do Centro Oeste (UNICENTRO) - Irati – Paraná.
 
Comentador: José Damião Rodrigues, Centro de História da Faculdade de Letras, Universidade de Lisboa
 
1196
 
“Mappa do Certam do Tibagi riquissimo de averes assim de oiro, estanho fino e Antimonio Excelente, como de fertiz
campos para criar animaes...”, c. 1755
Arquivo Histórico Ultramarino, Cartografia Manuscrita

 
A historiografia sobre a ocupação da região de Guarapuava, ou sobre a conquista, como frequentemente se menciona, tem prestado atenção às relações entre indígenas e não-indígenas principalmente no século XIX. Em parte, isso resulta dos relatos do Pe. Francisco Chagas Lima, de notável densidade etnográfica, sobre as dificuldades das interações com os indígenas. Em geral, a historiografia sobre o sertão vem procurando novas possibilidades de abordagem destes temas. No século XVIII, a fronteira, ou o sertão da capitania de São Paulo, constituía uma preocupação para a Coroa portuguesa. A documentação sobre os sertões de Tibagi, Ivaí, Paranapanema e Apiaí tem sido utilizada para se compreender as dinâmicas sociais, as relações econoómicas e as representações nestes sertões. Porém, ainda persiste o lapso de discussão sobre a constituição do sertão de Guarapuava, no século XVIII. Justamente, a reflexão sobre este sertão de Guarapuava chama a atenção para a problematização (conceptual) de uma região e de um período, assim como para uma documentação pouco usada na historiografia. Nesta conferência, ensaiar-se-á uma avaliação sobre a aplicabilidade do conceito de região: o sertão de Guarapuava, enquanto região, poderá ser entendido como uma construção histórica, modelada pelos debates científicos e pelas situações, ou práticas culturais, que fundamenta(ra)m o seu entendimento em um lugar e um período específicos.
 
Oséias de Oliveira é graduado em História pela Universidade Estadual Paulista (UNESP) e Doutor em História pela Universidade Estadual Paulista (UNESP). Atualmente integra o corpo docente do Departamento do curso de Licenciatura em História (UNICENTRO - Irati - PR) e é Professor Permanente do Programa de Pós-graduação em História e Regiões (UNICENTRO - PR). É autor/organizador dos livros Diversidade no Ensino; Turismo e Sustentabilidade em Comunidade Quilombola; Estudos Étnico-Raciais; História Agrária - propriedade e conflito; Ensino e Pesquisa de História: abordagens e metodologias e Reinterpretação Cultural nas Missões: a conversão de índios e missionários no Guairá. Actualmente, cumpre um estágio de pós-doutoramento no Centro de História do IICT, desenvolvendo uma pesquisa sobre “A construção do sertão de Guarapuava – séc. XVIII”.
 
Sala do Brasil (AHU),Calçada da Boa-Hora, nº 30, Lisboa
Informações: ahu@iict.pt tel.: 213616330

 

2014-12-01
© 2007 IICT - Instituto de Investigação Científica Tropical
Rua da Junqueira, n.º 86 - 1º, 1300-344 Lisboa | Tel: 21 361 63 40 | Fax: 21 363 14 60 | email: iict@iict.pt